Logo Portal Ternura
07/08 - IBITINGA-SP
° °
Juliana Boldrin

Juliana Boldrin


Como lidar com a ansiedade


Popularmente, o termo "ansiedade" tem varias definições: nervosismo, medo, angústia, incertezas, entre outros. Já tecnicamente, a ansiedade é um fenômeno que pode nos beneficiar ou prejudicar – isso irá depender da intensidade e circunstâncias em que ocorre. Quando ocorre de forma moderada, age como um estímulo positivo em situações nas quais é preciso ter cautela e atenção. Todavia, se sua ocorrência for em excesso, pode tornar-se uma patologia, cujos efeitos serão nocivos para o indivíduo.  Podemos dizer que é um sentimento de pessoas que pensam excessivamente no futuro e se esquecem do presente.

Os sintomas da ansiedade patológica são muito intensos –  diferentemente da ansiedade normal que sentimos em situações comuns do dia a dia. É possível notá-los por meio de algumas manifestações somáticas (tremores, desconforto estomacal, sudorese, taquicardia, boca seca), comportamentais (insônia, falta de apetite ou fome excessiva, medo e agitação) e cognitivas (preocupação, nervosismo, desatenção, falta de concentração e irritabilidade).

A ansiedade pode tornar nossos dias muito mais difíceis, fazendo com que os momentos bons passem desapercebidos por ficarmos com o pensamento constantemente no futuro. Dessa forma, não valorizamos os momentos do “agora”.

Algumas ações podem auxiliar na redução dos sintomas:

  • Tenha mais atenção no presente. Pare de pensar constantemente no “amanhã” e foque no “hoje” e no “agora”.
  • Concentre-se na respiração. Quando sentir os sintomas, respire fundo e expire devagar até sentir-se mais calmo – a respiração é relaxante, acalma e alivia a ansiedade.
  • Faça afirmações positivas a si mesmo. A repetição de frases positivas como “está tudo bem”, “vai dar tudo certo” ou “eu vou conseguir” ajuda a acalmar e trazer de volta a tranquilidade que foi tomada pela ansiedade.
  • Escreva. Escrever o que sente em um papel tem o efeito parecido ao de desabafar com alguém – é como se tirasse um pouco o “peso” que sente e o colocasse para fora.
  • Pratique atividades físicas: exercícios físicos aumentam a produção de serotonina (substância que aumenta a sensação do prazer), reduzindo os efeitos da ansiedade.
  • Mantenha a mente ocupada: Faça atividades prazerosas que exijam dedicação e atenção – assim é possível deixar de lado os pensamentos destrutivos.

Essas dicas podem auxiliar na redução dos sintomas da ansiedade, porém se perceber que os sintomas são constantes e estão afetando algumas áreas da sua vida, como trabalho, estudo e relacionamento, busquem ajuda profissional. O psicólogo por meio de técnicas apropriadas está preparado para trabalhar esse problema.  Por isso, para ter um tratamento eficaz é indispensável a ajuda especializada.

 

Psicóloga Juliana Boldrin

Atendimento para jovens e adultos

Fone: (16) 99799- 4770

Clínica FisioMais

 

Facebook: https://www.facebook.com/psicologajulianaboldrin

Câmara Municipal de Ibitinga

Últimas colunas

Dr. André Forato Anhê

Dr. André Forato Anhê

O homem é o coronavírus do mundo*

O homem é o coronavírus do mundo*
Alessandra Augusto

Alessandra Augusto

Combatendo a violência contra a mulher

Combatendo a violência contra a mulher
Jótha Marthyns

Jótha Marthyns

E dai? Temos medidas de proteção social?

E dai? Temos medidas de proteção social?