Logo Portal Ternura
07/08 - IBITINGA-SP
° °
Juliana Boldrin

Juliana Boldrin


Depressão na adolescência não é “frescura”. Fique atento!

O transtorno depressivo impede o individuo de levar uma vida normal


Muitas pessoas dizem estar depressivas quando sentem tristeza ou desanimo em situações recorrentes do dia a dia – geralmente esses sentimentos são comuns e provavelmente desaparecerão sem precisar de tratamento. Para ser considerado depressão, é preciso observar a intensidade e a duração em que os sintomas ocorrem.   O transtorno depressivo impede o individuo de levar uma vida normal, afetando aspectos, como humor, pensamentos, saúde e o comportamento. 

 

Não sendo um problema exclusivo dos adultos, a depressão também pode ocorrer em crianças e adolescentes.  Na adolescência os jovens passam por muitas transformações, crises emocionais e pressões sociais – normalmente o transtorno depressivo é confundido com as mudanças comuns que ocorrem nessa fase. É importante identifica-lo no inicio para que tenha um tratamento adequado e não se torne mais grave, podendo ter consequências fatais.

 

É fundamental o papel da família no tratamento e na prevenção da depressão em adolescentes, pois o jovem precisará de apoio para tratar esse transtorno. Alterações no humor, comportamento e sentimentos exagerados são comuns nessa fase, mas é preciso ter atenção caso o adolescente apresente alguns dos seguintes sintomas:

 

- Tristeza sem motivo aparente.

- Alterações no sono.

- Alterações no apetite.

- Mal-estar físico. 
- Irritabilidade excessiva.

- Autocritica excessiva (negativa), sentimento de culpa e inutilidade.

- Diminuição no rendimento escolar.
- Falta de interesse por atividades básicas do cotidiano.

- Dificuldade de concentração.

- Conflitos com a família e ou amigos.

- Uso de álcool e drogas.

- Automutilação.

- Pensamentos suicidas.

 

É preciso que haja a conscientização sobre o fato de que a depressão na adolescência não é algo banal típico da idade – ela é uma doença que pode levar a morte.  Tenha atenção e observe se o individuo apresentar de quatro a cinco sintomas, todos os dias por um período de pelo menos duas semanas – isso é um sinal de alerta.  A depressão não se cura sozinha – é fundamental procurar ajuda profissional.

 

 

Juliana Boldrin

Psicóloga 

Câmara Municipal de Ibitinga

Últimas colunas

Dr. André Forato Anhê

Dr. André Forato Anhê

O homem é o coronavírus do mundo*

O homem é o coronavírus do mundo*
Alessandra Augusto

Alessandra Augusto

Combatendo a violência contra a mulher

Combatendo a violência contra a mulher
Jótha Marthyns

Jótha Marthyns

E dai? Temos medidas de proteção social?

E dai? Temos medidas de proteção social?