Logo Portal Ternura
13/07 - IBITINGA-SP
° °
Marco Fonseca

Marco Fonseca


Vivendo desafios


 O jornalismo proporciona entrar em contato com realidades que não são nossas em variadas situações, e hoje discutiremos investimentos imobiliários versos a situação dos planos de saúde.

Ao mesmo tempo... em que há reação da economia brasileira em razão do momento conturbado que passamos, presenciamos a abertura de novos investimentos imobiliários que vem aquecendo o andamento das Operações Urbanas Consorciadas (OUCs) em grandes centros.  As OUCs – instituídas pelo Estatuto da Cidade, de 2001 – têm o objetivo de criar mecanismos para desenvolver a infraestrutura de bairros deteriorados ou pouco aproveitados e atrair novos empreendimentos residenciais e comerciais que atendam à demanda da população. Para isso, o Poder Público amplia os potenciais construtivos dos terrenos e comercializa esse “estoque virtual” por meio da emissão e venda no mercado financeiro de Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs) a empresários e investidores. O mecanismo é bastante promissor, mas nem ele é capaz de ficar imune à crise generalizada que ainda estamos enfrentando no país, mesmo com a essa reação de nossa economia.

 ... Vivemos, entretanto um paralelo complexo e doloroso em razão do desemprego que assolou e ainda assola nosso país. Na segunda quinzena de janeiro deste ano a ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar divulgou o resultado do ano de 2016 com referência aos planos de saúde.Os planos de saúde perderam 1,4 milhões de beneficiários em 2016, segundo ano consecutivos de retração.  Em dezembro de 2016, os planos privados somavam 47,9 milhões de usuários e só no mês de dezembro houve uma perda de 5.161 beneficiários dos planos.

Sabemos que é reflexo da crise econômica brasileira, que levou o PIB nacional durante dois anos consecutivos de retração, e nesse contexto o desemprego aumentou, superando a casa de 12 milhões de pessoas que procura trabalho. Em 2016, o Brasil fechou com menos 1,32 milhões de empregos formais, ao mesmo tempo em que a população brasileira chegou a aproximadamente 211,50 milhões de habitantes (http://countrymeters.info/pt/Brazil) e com 38,371 milhões de empregos formais existentes.

Desta feita, muitos dos desempregados perderam o plano de saúde corporativo e entram na lista de pessoas que deixaram de ser beneficiárias de planos de saúde privados, e, portanto isto vem refletindo na rede pública através do aumento de atendimento por usuários do SUS, e a situação tende a aumentar, pois a ANS autorizou dias atrás o reajuste de até 13,55%nos planos de saúde.

 Para concluir é importante dizer que a saúde é uma garantia constitucional, sendo dever do Estado, fornecer medicamentos e tratamentos, nos moldes do artigo 196 da Magna Carta.

Câmara Municipal de Ibitinga

Últimas colunas

Jótha Marthyns

Jótha Marthyns

Covid-19: de mãos dadas com a maldição de Cronos

Covid-19: de mãos dadas com a maldição de Cronos
Elizandra Souza

Elizandra Souza

Pandemia e ansiedade infantil

Pandemia e ansiedade infantil
José de Paiva Netto

José de Paiva Netto

O Divino Referencial Jesus

O Divino Referencial Jesus