Logo Portal Ternura
21/10 - IBITINGA-SP
° °
PG Nogueira

PG Nogueira


Capitã Marvel, o gato e os milhões


Saudações terráqueas aos Skrull’s escondidos na terra! Diretamente dos quadrinhos o primeiro filme solo de uma das mais poderosas e icônicas personagens, Capitã Marvel finalmente saiu. E QUE ESTREIA!

Antes de falar um pouco do filme, tenho que contar sobre um evento curioso envolvendo seu nome, e as duas principais editoras de gibis, Marvel e DC.

La pelas bandas dos anos 60, uma editora chamada Fawcett Comics criou um personagem chamado Capitão Marvel, o qual era superforte, voava e usava capa. Te lembra alguém? Sim senhor, aquele carinha de azul, o Super Homem. A DC também achou muito parecido, e por esse motivo entrou com um processo alegando plágio, e ganhou. A DC então obteve os direitos do personagem, mas obviamente não poderia usar o nome da sua principal concorrente, o que ela fez? Batizou o novo herói de SHAZAN! Sim aquele famoso e que vai ganhar seu filme solo esse ano. Caramba que rolo, mas não acaba aí.

O nome Capitão Marvel ficou vago, e já que ninguém estava usando, um carinha chamado Stan Lee com a ajuda de Gene Colan, resolveram criar o Capitão Mar-Vell.

Pronto a história foi feita!

Até chegar na Capitã Marvel que temos hoje foram várias e várias voltas e mudanças de personagens, se fôssemos falar de todos iriamos encher páginas e páginas, então vamos falar da nossa atual Carol Danvers ou Capitã Marvel.

Agora voltando nossas atenções ao filme vamos lá!

Se trata de um filme de origem, porém bem diferente dos demais, uma vez que a história da personagem não é mastigada e jogada, e sim desenvolvida junto à trama do filme. Muitas vezes usando flashbacks. Confesso que não gosto muito deste recurso, mas funcionou no filme.

A Capitã Marvel vivida pela novata Brie Larson (Acredito que só vi essa atriz uma vez, no filme Anjos da Lei, o qual recomendo se gostar de humor) da vida a heroína, o qual mostra todo seu lado confiante e com aquele humor sarcástico conhecido pelos seus leitores.

A trama gira em torno da guerra dos Skrull e Kree, e se passa nos anos 90, talvez seja esse o fato de ter gostado do filme. O filme tem um tom de ficção científica das antigas até meio retro ou vintage se preferir, e claro usando sempre da fórmula Marvel de bom humor.

No filme também é mostrado o início da carreira de Nick Fury (Samuel L. Jackson) na Shield, e ali nasce uma amizade interessante e até sincera com a protagonista Carol Danvers.

Sem dúvida alguma o até então vilão Talos vivido por Ben Mendelsohn, foi de longe um dos mais divertidos que assisti nos últimos tempos, fugindo totalmente do arquétipo imposto pela indústria.

E Chewie (ou Goose), o gato da Capitã? Para quem acompanha as HQs da Capitã não foi nenhuma novidade se apaixonar pelo seu bichinho de estimação extraterrestre, em quase toda cena arrancava gargalhadas e expressões de fofura da plateia.

Existia uma dúvida sobre a viabilidade e sucesso financeiro do filme, pois não é uma heroína conhecida por muitos fora do círculo dos gibis, apenas falácia mole. No momento que escrevo o artigo dei uma olhadinha nos números dela, nada menos que 900 milhões até o momento, possivelmente chegará facilmente na casa do bilhão no próximo final de semana.

Dá-lhe Capitã!

Após anos de heróis conhecidos da Marvel acredito que Capitã Marvel mostre o futuro brilhante que espera os próximos filmes da franquia de heróis, e já aguardo ansiosamente a continuação dessa história.

Não viu ainda? Então usando o lema da heroína "Mais rápido, mais longe, mais rápido!".  Corre pro cinema mais perto pra assistir, garanto que vale cada minuto.

Câmara Municipal de Ibitinga

Últimas colunas

José de Paiva Netto

José de Paiva Netto

A Dor não é um fatalismo

A Dor não é um fatalismo
Antonio Tuccílio

Antonio Tuccílio

Outubro Rosa: Projeto de Lei dos 30 dias pode salvar vidas de pacientes com câncer

Outubro Rosa: Projeto de Lei dos 30 dias pode salvar vidas de pacientes com câncer
Diego Moraes

Diego Moraes

Democracia: mensurar para transformar

Democracia: mensurar para transformar