Logo Portal Ternura
21/10 - IBITINGA-SP
° °
PG Nogueira

PG Nogueira


O Filme daquele cara que fala com peixe


Fala a verdade, o título do texto chama mais atenção que ‘’Aquaman’’ ou não?

Finalmente após anos e anos de especulações e promessas o primeiro longa de Aquaman, um dos heróis mais antigos das hqs, sendo criado na década de 40 ainda na famosa Fun Comics, a qual foi o berço de muitos heróis conhecidos. Finalmente assistimos!

Nos gibis (principalmente no Brasil), talvez o personagem não tenha sido tão relevante em vários momentos pela Dc. De cabeça lembro de poucas histórias dignas de notas do herói (agradeço se algum fã mais ávido me indicar leituras). Tal como a perda da sua mão que foi substituída por um arpão, ou quando o vilão Arraia negra sequestra seu filho o levando a morte.

O filme segue bem fiel a origem do herói: uma atlantis chamada Atlanna (Nicole Kidman) se apaixona por um homem da superfície Tom Curry ( Temuera Morrison), e desse envolvimento nasce Arthur Curry (Jason Momoa) vulgo Aquaman.

Começarei com os pontos que gostei do filme: O visual de Atlantis a cidade submersa e as cenas no fundo do mar são realmente boas, o filme tem um visual único e incrível.

E pela primeira vez em um filme da DC as cenas de ação são bem filmadas, o que até certo ponto é estranho, pois a direção é de James Wan, o qual é mais famoso por seus filmes de terror/suspense.

O humor bruto de Jason Mamoa também é um ponto positivo do filme, outra surpresa por se tratar de um filme da Dc, conhecida por seu tom mais sombrio. Porém combina com o personagem e a proposta do filme.

Agora preciso falar do vilão Arraia Negra e quão desnecessário ele foi. A história dele é importante para o Aquaman? Sim. Ele fez diferença ou foi importante no filme? Não. Meramente para tapar buraco no filme e com um visual que parece ter saído dos power rangers foi a pior coisa do filme, de longe! Você pode me questionar: Poxa Pg mas ele está igual aos gibis. Ok, concordo, mas você tem que inovar, recriar e surpreender ou ficamos apenas recortando do gibi e colando no filme.

Outra coisa perturbante no filme é a trilha sonora, quando menos esperamos em uma cena qualquer vem alguma música bobinha que parece ter feito sucesso nos anos 90 e fora de contexto. Aquela velha mania de querer parecer ‘’Cool’ e descolado sem motivo aparente

Porém, o filme acerta muito mais que erra, e isso é que vale principalmente para a Dc, que está perdida com seu universo de filmes compartilhados. Devo admitir que o filme não traz nada de novo ao gênero, não é aquele filme que você sai do cinema e pensa CARAMBA, mas vale a pena uma sessão com pipoca e refrigerante.

Aquaman aquele carinha que fala com os peixes ainda está em cartaz, e deve permanecer mais uma semana em salas de todo Brasil.

Câmara Municipal de Ibitinga

Últimas colunas

José de Paiva Netto

José de Paiva Netto

A Dor não é um fatalismo

A Dor não é um fatalismo
Antonio Tuccílio

Antonio Tuccílio

Outubro Rosa: Projeto de Lei dos 30 dias pode salvar vidas de pacientes com câncer

Outubro Rosa: Projeto de Lei dos 30 dias pode salvar vidas de pacientes com câncer
Diego Moraes

Diego Moraes

Democracia: mensurar para transformar

Democracia: mensurar para transformar