Logo Portal Ternura
07/08 - IBITINGA-SP
° °
Psicóloga Talita Andrade Deltorto

Psicóloga Talita Andrade Deltorto


E quando chega um bebê? Como podemos ajudar o irmão mais velho?


   Ter mais um bebê exige adaptação não apenas das crianças, mas também dos pais, que devem saber lidar com as reações do filho mais velho, o nascimento de um irmão, a perda do posto de filho único acaba gerando ciúmes. Com tanta transformação, o apoio dos pais é essencial para que a criança entenda que vai continuar sendo amada e protegida.

   O ciúme surge e é normal, especialmente associado ao nascimento de um irmão mais novo. Geralmente é associado a pensamentos difíceis de compreender pela própria criança, de expressar ou controlar: “Meus pais já não vão ter mais tempo para mim, vão gostar mais dele (a) do que de mim.”

   A preocupação do que será a vida de filho partilhada com um irmão, levam a consequências diversas: comportamentos negativos para chamar a atenção, comportamentos regressivos como voltara fazer xixi na cama, voltar a pedir a chupeta ou mamadeira, querer andar no colo, dormir com os pais, fazer birras, gritar perto do irmãozinho quando este dormindo.

   O ciúme faz parte nesse processo de mudança, mas é possível ajudar a controlá-lo, com compreensão, paciência, dando tempo para que se consiga habituar à nova realidade e muito apoio.

    Outro cuidado que os pais devem ter é em relação a novas mudanças na vida da criança. Mudar a decoração do quarto ou mesmo trocar a escola do filho nesse momento em que o bebê está chegando são atitudes que devem ser adiadas, pois  a criança pode ficar insegura e achar que está perdendo ainda mais coisas com a vinda do irmão. O ideal é manter tudo como está até que ela entenda a chegada de um bebê.

-Promovam momentos de compreensão e de expressão dos ciúmes do seu filho. Exteriorizar, conseguir expressar as angustia é extremamente importante para a criança aprender a lidar com a situação;

- Desde o início da notícia da chegada de um bebê incluir o seu filho mais velho na decoração do quarto, nas compras para o bebê, na preparação e no crescimento da barriga ajuda a criança sentir-se parte das novas mudanças.

- Reserve sempre um tempo especial e único para o seu filho mais velho e combine com ele quando o poderão fazer algo junto (somente vocês dois), mesmo que seja pouco tempo, será essencial e valorizado por ele.

- Valorize-o pela idade que tem, partilhando com ele tarefas que ele consiga fazer relacionadas com as novas rotinas do bebê, como pedir-lhe uma fralda, ajudar no banho, escolher a roupa e elogie-o por ser capaz e por ser uma ajuda preciosa para você;

- Crie momentos de conversa para promover a partilha de sentimentos: “Imagino que às vezes seja difícil para você não termos tanto tempo juntos.” Com frases desse tipo ele vai sentir-se mais compreendido.

À medida que responde ou mesmo que não responda sempre brinque com ele dando-lhe abraços e dizendo como se sente orgulhoso (a) das atividades e tarefas em que ele tem um bom desempenho.

- Estabeleça com ele uma parceria, propondo que dividam as tarefas relativas ao bebê assim poderão ter mais tempo para estar juntos conversando ou a fazendo alguma atividade;

- Quando falar com o bebê, diga-lhe frequentemente: “Que bom que você tem um irmão mais velho que nos ajuda tanto e pode te ensinar tantas coisas!”

 

E a sua família está à espera de um bebê?

Avós, tios, padrinhos e até mesmo babás podem ajudar imensamente se também levarem adiante mecanismos de distração, atenção partilhada para dar suporte aos pais com dois ou mais filhos, principalmente se conseguirem lidar com naturalidade diante do fato de que a família aumentou e que a capacidade afetiva também precisa ser plástica.
 

Sejam pacientes e amorosos  sempre ...tudo é uma fase e vai passar!

 

               Um Abraço da Psi a todos!

 

Psicóloga Talita Andrade Deltorto #Crianscendocriança

LUDOTERAPIA (Atendimento da criança e da família.)

Agendamentos: (16)99158-4014

Câmara Municipal de Ibitinga

Últimas colunas

Dr. André Forato Anhê

Dr. André Forato Anhê

O homem é o coronavírus do mundo*

O homem é o coronavírus do mundo*
Alessandra Augusto

Alessandra Augusto

Combatendo a violência contra a mulher

Combatendo a violência contra a mulher
Jótha Marthyns

Jótha Marthyns

E dai? Temos medidas de proteção social?

E dai? Temos medidas de proteção social?