Logo Portal Ternura
13/07 - IBITINGA-SP
° °
Psicóloga Talita Andrade Deltorto

Psicóloga Talita Andrade Deltorto


Puerpério: Baby Blues e Depressão Pós- Parto


Se as mamães soubessem que preparar o quartinho e as roupinhas é bom...mas que precisam mesmo é preparar seus maridos, avós e si mesmas para o pós parto...ou puerpério .

É normal que logo após o parto a mãe sinta emoções como irritação, choro (sem motivo aparente), melancolia, sentimento de impotência diante da responsabilidade dos cuidados com o bebê, isso pode acontecer pela brusca mudança hormonal que acontece logo após o parto, e esses sintomas podem aparecer em mães saudáveis que nunca tiveram um episódio de depressão ao longo da vida.

A esta fase passageira que costuma ter inicio logo após o parto e ter uma duração média de 15 a 20 dias damos o nome de Baby Blues.

A nova mamãe experimenta um sentimento contraditório de estar muito feliz pelo nascimento do bebê e ao mesmo tempo não entende o porquê daquela tristeza, algumas mães se sentem culpadas. A verdade é que muitas mães nem sabem que passaram por isso, já outras não se esquecerão dessas sensações. È importante saber que em média 60% a 80% das mulheres passam por essa situação, mas por medo, vergonha de ser julgada a maioria delas não divide essas angustias com as pessoas próximas. Sofre calada e sozinha.

Alguns sintomas do Baby blues:

-Choro constante ou sem motivo aparente

-Mudança de apetite (Comer mais ou menos)

-Impaciência, Irritabilidade

-Medo de não ser uma boa mãe ou não se acostumar a ser uma mãe

-Ansiedade

-Fadiga

-Insônia (mesmo quando o bebê está dormindo)

-Tristeza, Dificuldade de concentração

Importante lembrar que se os sintomas tiverem inicio 1 mês após ao nascimento ou continuarem por 2 meses ou mais e a mãe ficar cada vez mais isolada, deprimida, deixar de realizar os cuidados básicos do bebê ou mesmo dela, é provável que esteja em um processo de Depressão pós parto. Caso esteja acontecendo isso com você ou com alguma mamãe próxima a você procure o médico, peça ajuda aos seus familiares, o acompanhamento médico e psicológico será de grande ajuda.

Como podemos ajudar a mãe no pós- Parto?

 Pais (maridos) :Normalmente a nova mãe espera que seu companheiro assuma junto dela esse momento especial, que tenha interesse em ajuda-la com o novo bebê, que seja atencioso e compreensivo. Esse é também um momento delicado para o pai que muitas vezes fica perdido em como ajudar:

Pergunte a sua esposa se precisa de ajuda

-Esteja por perto quando ela for cuidar do bebê, Ofereça ajuda, muitas mamães se cobram em dar conta desse novo momento e por mais que desejem esperam que a ajuda seja oferecida.

-Fique com o bebê quando possível para que ela possa tomar um banho ou mesmo quando ela for almoçar ou jantar. Isso da mais segurança nesse momento tão delicado que é o pós-parto.

-Dê espaço para que ela conte como se sente e tente reconforta-la. Muitas vezes elas só precisam saber que você está ali para ouvi-las.

Para as vovós: Vovós:As avós podem e devem ajudar suas filhas ou noras, mas desde que tenham sido solicitadas por elas, algumas mamães vão preferir ficar só com o companheiro nos pós-parto, outras vão para casa das avós, enfim cada uma vai encontrar a sua maneira de sobreviver ao pós-parto.

Respeitem o que for decidido pelo casal. A nova mamãe precisa de tranquilidade.

A principal dica para as avós é: Cuide da mãe e deixe que ela cuide do bebê!

(É natural que as avós amem muito o bebê que chega e é maravilhoso esse amor para essa criança, mas não devem se esquecer que sua filha ou nora esperou 9 meses para ter esse pequeno nos braços e cuidar dele.

-Ouça mais a nova mãe e dê menos palpites (somente se ela solicitar). Esse é o momento dela aprender a ser mãe e ela descobrirá como fazê-lo!

-Auxilie nos afazeres domésticos (quando não tem quem o faça)

-Cuide do bebê para que ela possa tomar um banho, ou mesmo, comer (ofereça ajuda)

(não fiquem chateadas se o casal der conta de cuidar do bebê. Com o passar do tempo todos poderão ter maior contato com o pequeno!)

Mas as primeiras semanas e meses reservam muitas expectativas e desejos do casal que precisam ser respeitados!

-Incentive a amamentação (mas lembre de que esse é um momento da mãe e do bebê, nem toda a mãe deseja ficar rodeadas de pessoas enquanto está amamentando... principalmente nas primeiras semanas onde ela e seu bebê estão se adaptando a esse processo, que exige paciência, amor e muita tranquilidade para ambos).

Cuidem muito bem dessa nova mãe, porque se ela estiver bem o bebê também estará! É esse o tipo de ajuda que toda mulher pós- parto precisa!

Câmara Municipal de Ibitinga

Últimas colunas

Jótha Marthyns

Jótha Marthyns

Covid-19: de mãos dadas com a maldição de Cronos

Covid-19: de mãos dadas com a maldição de Cronos
Elizandra Souza

Elizandra Souza

Pandemia e ansiedade infantil

Pandemia e ansiedade infantil
José de Paiva Netto

José de Paiva Netto

O Divino Referencial Jesus

O Divino Referencial Jesus