Logo Portal Ternura
21/11 - IBITINGA-SP
° °

Duas cidades da microrregião de Araraquara podem ser extintas com PEC de Bolsonaro

Motuca e Trabiju não atendem as demandas da PEC do Pacto Federativo; caso mantenham os parâmetros, as cidades podem ser fundidas à outros municípios.


Entrega da "PEC do Pacto" ao senador Davi Alcolumbre. Foto: Marcos Corrêa / PR

As cidades de Motuca e Trabiju podem ser incorporadas por outros municípios se não atenderem as novas demandas até 2026. Essa é a determinação da PEC do Pacto Federativo, proposta pelo governo Bolsonaro no último dia 5 de novembro. O projeto tem a intenção de fazer um reajuste administrativo nos Estados e Municípios do país. Um dos tópicos elencados pelo governo dispõe sobre a saúde financeira das cidades de pequeno porte.

Segundo a Proposta de Emenda Constitucional, as cidades com menos de 5 mil habitantes que têm uma arrecadação própria de menos de 10% de todas as arrecadações, podem ser fundidas a outros municípios maiores. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), são 1.253 cidades com essa proporção. Três municípios têm este tamanho na microrregião de Araraquara.

Gavião Peixoto, Motuca e Trabiju podem passar por mudanças de acordo com essa proposta. A última pesquisa feita pelo IBGE em 2010, apontou que apenas Gavião Peixoto vivia uma situação estável. A cidade tinha 4.419 habitantes em 2010. De todas as receitas municipais, Gavião consegue 16,2% com as próprias pernas. O resto das receitas é proveniente dos recursos da União e do Estado de São Paulo. Se a cidade mantiver os parâmetros no próximo censo, ela não passará por mudanças administrativas.

Motuca e Trabiju vivem um cenário diferente. As duas cidades não conseguem arrecadar, sozinhas, 10% do que tem para gastar. Motuca tinha uma população de 4.290 pessoas em 2010, segundo o censo. 9,1% do dinheiro municipal vem da própria cidade. Trabiju é a menor cidade da microrregião, com 1.544 habitantes. Do total arrecadado, 4,7% é a própria cidade que consegue.

 

Segundo o Censo 2010, Motuca tem, aproximadamente 4.758 habitantes em 2019. Foto: site ABAG

 

Se a PEC for aprovada e as cidades não mudarem este cenário até 2026, elas serão incorporadas a outros municípios e não terão administração própria. A microrregião de Araraquara conta, atualmente, com 15 municípios, segundo o IBGE.

Por se tratar de uma PEC, a proposta precisa ser aprovada em dois turnos de votação no Senado e outros dois turnos na Câmara, antes de ser promulgada e entrar em vigor.

A proposta

A PEC do Pacto foi assim denominada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. A proposta foi entregue para o presidente do Senado, Davi Alcolumbre na última terça-feira, pelo próprio presidente, Jair Bolsonaro.

Além da fusão de municípios menores, a PEC do Paco Federativo propõe uma reestruturação a relação entre União, Estados e Municípios em caráter administrativo e financeiro. O repasse de recursos e a responsabilidade com o contribuinte são os principais tema das mudanças.

 

O QUE PREVÊ A PEC DO PACTO FEDERATIVO

  • Cria o Conselho Fiscal da República que se reunirá a cada três meses para avaliar a situação fiscal da União, estados e municípios. O conselho será formado pelos presidente da República, Câmara, Senado, Supremo Tribunal Federal (STF), Tribunal de Contas da União (TCU), governadores e prefeitos;
  • Extingue o Plano Plurianual (PPA);
  • Leis e decisões judiciais que criam despesas só terão eficácia quando houver previsão no orçamento;
  • Benefícios tributários serão reavaliados a cada 4 anos. No âmbito federal eles não poderão ultrapassar 2% do PIB a partir de 2026;
  • A partir de 2026, a União só será fiadora (concederá garantias) a empréstimos de estados e municípios com organismos internacionais, e não mais com bancos;
  • Transferência de royalties e participações especiais a todos estados e municípios;
  • União fica proibida de socorrer com crédito entes com dificuldades fiscal-financeiras a partir de 2026;
  • Estados e municípios passarão a receber toda a arrecadação de salário-educação e a definir o uso dos recursos;
  • Permite que o gestor administre conjuntamente os gastos mínimos em educação e saúde, podendo compensar um gasto de uma área na outra.
  • Cria o Estado de Emergência Fiscal que vai desindexar despesas obrigatórias e cria mecanismos automáticos de redução de gastos.
  • Município com menos de 5 mil habitantes e arrecadação própria menor que 10% da receita total será incorporado pelo município vizinho

 


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Regional

mais notícias

Professor da Unesp é esfaqueado vítima de racismo no Dia da Consciência Negra
há 7 minutos atrás

Professor da Unesp é esfaqueado vítima de racismo no Dia da Consciência Negra

Professor da Unesp é esfaqueado vítima de racismo no Dia da Consciência Negra
Câmara de Itápolis abre CPI para averiguar se prefeitura desviou finalidade de verbas públicas
há 16 horas atrás

Câmara de Itápolis abre CPI para averiguar se prefeitura desviou finalidade de verbas públicas

Câmara de Itápolis abre CPI para averiguar se prefeitura desviou finalidade de verbas públicas
TOR apreende 50 quilos de cocaína
há 1 dia atrás

TOR apreende 50 quilos de cocaína

TOR apreende 50 quilos de cocaína
Mulher de 55 anos é encontrada morta a facadas dentro do quarto em Boa Esperança do Sul
há 1 dia atrás

Mulher de 55 anos é encontrada morta a facadas dentro do quarto em Boa Esperança do Sul

Mulher de 55 anos é encontrada morta a facadas dentro do quarto em Boa Esperança do Sul
Adolescente de 15 anos é espancada com barra de ferro pelo ex-namorado em Guará
há 1 dia atrás

Adolescente de 15 anos é espancada com barra de ferro pelo ex-namorado em Guará

Adolescente de 15 anos é espancada com barra de ferro pelo ex-namorado em Guará