Logo Portal Ternura
19/02 - IBITINGA-SP
° °

Moro vai (de novo) ao Congresso defender prisão em 2ª instância

Proposta do deputado Alex Manente (Cidadania-SP) está na Comissão Especial e tem apoio entusiasmado do ministro.


Brazil’s Justice Minister Sergio Moro speaks during a commission of Constitution and Justice in the Brazilian Federal Senate in Brasilia
Sergio Moro: o ex-juiz federal foi um dos que tiveram mensagens interceptadas na vaza jato (Adriano Machado/Reuters)
 

São Paulo — A prisão após condenação em segunda instância volta à pauta. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, vai à Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 12, para defender a mudança, que é uma de suas principais bandeiras e que foi proibida no fim do ano passado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Moro participa de um debate, com início às 10h, a ser feito na comissão especial que analisa a Proposta de Emenda à Constituição 199/19, de autoria do deputado Alex Manente (Cidadania-SP).

O texto passou na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no fim de novembro e define que o “trânsito em julgado” de uma ação penal se dá já na segunda instância.

Mandar uma PEC a forma de contornar a decisão do STF, que decidiu com base no artigo 5º da Constituição, uma cláusula pétrea, que a prisão só pode ser decretada após esgotados todos os recursos, o chamado “trânsito em julgado” (exceto em casos de prisão preventiva).

A resolução do tribunal retirou da prisão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado por Moro quando era juiz da Lava Jato em Curitiba. Outros 14 mil presos também foram beneficiados.

O relator da PEC na Câmara, o deputado Fábio Trad (PSD-MS), afirmou nesta semana que Moro deve enfrentar oposição durante a audiência a depender de sua postura.

“Ele vai defender que apenas o sistema penal seja modificado. Se esquecendo, se é que vai defender isso, que o sistema da Justiça cível, tributária, trabalhista e previdenciária são extremamente morosos”, disse. “Se for nessa linha, ele vai sofrer resistências”, completou.

Essa não é a primeira vez que Moro vai ao Congresso defender a proposta. Em novembro do ano passado, o ministro participou de audiência no Senado sobre o tema e também fez reuniões com líderes partidários em busca de apoio à PEC.

O presidente da comissão especial e defensor da proposta, Marcelo Ramos (PL-AM), está otimista e vê maioria para aprovação. Para virar emenda constitucional, uma PEC precisa ter apoio em dois turnos de pelo menos 308 deputados e 49 senadores. A tarefa é desafiadora — com ou sem o apoio de Moro.

 

Fonte: Exame


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Nacional e Internacional

mais notícias

Japão confirma mais 79 casos de coronavírus em navio de cruzeiro
há 6 horas atrás

Japão confirma mais 79 casos de coronavírus em navio de cruzeiro

Japão confirma mais 79 casos de coronavírus em navio de cruzeiro
Denúncia contra Jucá e Raupp é confirmada
há 7 horas atrás

Denúncia contra Jucá e Raupp é confirmada

Denúncia contra Jucá e Raupp é confirmada
Paralisação econômica da China pelo coronavírus reduz emissões de CO2
há 7 horas atrás

Paralisação econômica da China pelo coronavírus reduz emissões de CO2

Paralisação econômica da China pelo coronavírus reduz emissões de CO2
Petroleiros se reúnem para decidir sobre greve na Petrobras
há 8 horas atrás

Petroleiros se reúnem para decidir sobre greve na Petrobras

Petroleiros se reúnem para decidir sobre greve na Petrobras
PLACA 7: Pagamento integral do IPVA 2020, sem desconto, vence nesta quarta-feira (19)
há 10 horas atrás

PLACA 7: Pagamento integral do IPVA 2020, sem desconto, vence nesta quarta-feira (19)

PLACA 7: Pagamento integral do IPVA 2020, sem desconto, vence nesta quarta-feira (19)